Notícia

Negócios internacionais: como a pandemia e home office são encarados

Nesta segunda-feira (14), no CBN Inovação, Evandro Milet conversou com o gerente de DevSecOps da Trustly, Denner Bitti Padilha. Ouça!

Fintechs ao redor do mundo estão de olho no mercado capixaba - um dos ninhos de "financial technology" no Brasil
Fintechs ao redor do mundo estão de olho no mercado capixaba - um dos ninhos de "financial technology" no Brasil
Foto: Pexels

Fintechs internacionais estão de olho no mercado capixaba, um dos ninhos da "financial technology" no Brasil. Empresas do setor, principalmente dos Estados Unidos, estão recrutando capixabas para suas equipes - o que não acontecia antigamente, já que a atenção se voltava ao Rio de Janeiro e São Paulo. É o caso do capixaba Denner Bitti Padilha, que foi contratado pela "Trustly", uma fintech sueca com base na Califórnia (EUA) que atua no processamento de pagamentos bancários. Ele foi o convidado de Evandro Milet, nesta edição do CBN Inovação. Ouça o quadro!

Já incorporado ao clima de "internacionalização" do processo, ele atua na empresa no cargo de "DevSecOps Manager" - o que seria um gerente de operações de TI na realidade brasileira. Padilha atua de forma remota no dia a dia da empresa apontou os desafios na vivência de trabalho em uma realidade internacional. "Mais do que a questão da apenas distância, você tem que ter em mente que a empresa tem procedimentos internos que consigam trazer as atividades de forma consistentes. Por isso, temos reuniões diárias com as equipes, softwares que acompanham as atividades e uma vez por mês temos reunião em que o CEO fala sobre a realidade da empresa", explicou.

O capixaba afirma que, naturalmente, os funcionários acabam tendo um impacto cultural dessa "conexão" do trabalho e acontece, por exemplo, um "aculturamento" norte-americano muito forte. "Não é apenas o saber falar inglês. O dia a dia é todo em inglês", destaca. O fuso horário, segundo ele, também é outro desafio. "Você tem que passar a administrar seu tempo com base no fuso horário daquele país. Você tem que levar isso em conta quando vai enviar relatórios, por exemplo". Por fim, Denner resume: "O Espírito Santo está abraçando as empresas estrangeiras e bons frutos são colhidos".

Ver comentários