Notícia

Alerta dentro de casa! Plantas tóxicas para os pets - parte II

Ouça as orientações da médica veterinária Tatiana Sacchi

Tatiana Sacchi indica as plantas perigosas para os pets
Tatiana Sacchi indica as plantas perigosas para os pets
Foto: Caique Silva/Pexels

Nesta edição do Clube Pet CBN, Tatiana Sacchi finaliza a série sobre quais plantas os tutores devem ter cuidado para evitar a intoxicação dos pets. A orientação é não deixá-las por perto e saber dos seus riscos. Ouça!

AS PLANTAS:

Palmeira-sagu:

Nome científico: Cyca Revoluta.

Princípio tóxico: cycazin e macrozamin.

Parte tóxica: sementes e raízes.

Sinais de intoxicação: inicialmente muita dor abdominal e vômito. Dias após causa hepatite e pocorrem sangramentos, hematomas, vômito, diarreia, ascite (barriga d’água), insuficiência hepática e renal.

Espada-de-são-jorge:

Nome científico: Sansevieria trifasciata.

Princípio tóxico: saponinas e ácidos orgâncios.

Parte tóxica: toda a planta.

Sinais de intoxicação: irritação de mucosa com salivação excessiva e irritação local em contato com a pele.

Espirradeira:

Nome científico: Nerium oleader.

Princípio tóxico: glicosídeo cardiotóxico.

Parte tóxica: folhas, raiz, néctar e também fumaça proveniente de sua queimada ou água onde tenha sido colocada.

Sinais de intoxicação: respiração rápida, taquicardia, arritmias cardíacas, dor abdominal com ou sem vômito ou diarreia, dilatação das pupilas.

Lírio e lírio da paz:

Nome científico: Lilium spp e Spathiphyllum wallisii.

Princípio tóxico: não conhecido.

Parte tóxica: toda a planta.

Sinais de intoxicação: vômito, depressão, aumento da ingestão de água e aumento da micção, insuficiência renal aguda.

Ver comentários