Notícia

Seu pet é bagunceiro? Saiba as estratégias para entreter seu animal

Confira as orientações da médica veterinária Tatiana Sacchi

Cachorro
Cachorro
Foto: Freepik

Farejar, enterrar, roer, destruir objetos, cavar, latir em excesso, marcar território ou até mesmo comer as próprias fezes. O que são comportamentos naturais das espécies de cães pode ser interpretados por inadequados pelos tutores. O resultado? Cães castigados ou até mesmo abandonados. Assunto para análise de Tatiana Sacchi. "O que acontece grande parte das vezes é que as pessoas querem ter um cão, criam expectativas sobre esse cão que geralmente foi idealizado, mas elas não sabem exatamente o que esperar desse cão, qual é o comportamento natural da espécie e as características da raça que ele quer adquirir", explica.

Segundo a comentarista, tanto a rotina do animal quanto a rotina da casa podem não estar adequadas para o cão e assim como as crianças, os animais precisam ser educados e ensinados sobre o que podem ou não fazer, com reforços positivos pelo bom comportamento e correção imediata pelo mau comportamento. "Todo cão precisa expressar seu comportamento natural de andar e farejar por grandes distâncias – e não, quintal grande não é desculpa para não sair com o cão!". Tati , nesta edição do Clube Pet CBN, aponta quais são as estratégias para adaptar a rotina do cão, fazê-lo gastar energia e ainda dá dicas de como entreter o animal. Ouça:

AS DICAS DA TATI

Além dos passeios, o enriquecimento ambiental permite que o animal interaja com o ambiente, desenvolva seus instintos naturais de forma lúdica e saudável, gaste energia, evitando o tédio, a ansiedade e problemas de comportamento como compulsão e destrutividade. Assim, o animal se movimenta, usa as patas e a boca e estimula os sentidos de olfato, tato e visão. Mas, largar um brinquedo na casa, dar um osso para ele roer ou deixar o quintal “disponível”, não é enriquecimento ambiental.

Estratégias alimentares

- Oferecer o alimento de formas diferentes: coloque um pouco de ração dentro de uma garrafa pet e faça furos nas laterais para que o alimento caia saia aos poucos. Comece com furos grandes e vá diminuindo para que o cão não perca o interesse pela brincadeira. Outra opção também na hora de comer, são os alimentadores lentos que retardam o tempo de ingestão da comida.

- Procurar petiscos pela casa: esconda petiscos com cheiros e sabores diferentes, como bifinhos, cenouras, frutas pela casa para que ele gaste tempo procurando. Os quebra-cabeças para cães também são uma opção.

- Brinquedos recheáveis: neles pode-se esconder petiscos ou preenchê-los com patê e serem congelados. Eles podem ser oferecidos para o animal antes de sair de casa e a distração pode durar algumas horas. Cuidado para não sair briga se tiver mais de um cão em casa.

Estratégias ocupacionais

- O ideal é começar com desafios fáceis e aumentar o grau de dificuldade conforme o animal aprende. É importante ter atenção especial quando há mais de um cão na casa para não haver brigas por disputas e ciúmes dos brinquedos.

- Pendurar brinquedos em cordas para dificultar o acesso, oferecer bolas maciças para mastigar, esconder o brinquedo pela casa para ele procurar, deixá-lo dar voltas ao redor da casa, ter pisos com diferentes texturas para ele pisar são formas de distração.

- Roer e destruir: dê a ele ossos e brinquedos mastigáveis, como as pelúcias, que possam ser roídos, destruídos e até engolidos se for o caso de um cão que come de tudo.

- Acesso à janelas e portões de forma segura para que haja a distração de olhar movimento na rua, no jardim e etc...

- E lembre-se que nada substitui um bom passeio na rua ou em parques, onde o cão gasta energia, vê o movimento de pessoas e animais, interage com outros animais, sente cheiros e ouve barulhos diferentes, e também pisa em diferentes texturas.

Quando não é oferecido à eles, muitos cães acabam criando sua própria fonte de distração e brincadeira e caso isso não provoque danos à ele ou à casa, deve sempre ser estimulado e ser constante.

Lembre-se: a culpa não é do cão! Se tiver dificuldade em ensiná-lo e educá-lo, procure ajuda profissional.-

[Fonte: Tatiana Sacchi]

Ver comentários