Notícia

A história e as obras de Padre Anchieta no Espírito Santo

Padre Bruno Franguelli, vice-reitor do Santuário São José de Anchieta, em entrevista a rádio CBN Vitória
Padre Bruno Franguelli, vice-reitor do Santuário São José de Anchieta, em entrevista a rádio CBN Vitória
Foto: Pedro Cunha/CBN Vitória

Até o dia 23 de junho a cidade de Anchieta, no sul do Espírito Santo, festeja a história de São José de Anchieta. Nesta semana, no clima da data, jesuítas devotos do Santo realizaram uma missa, no Palácio Anchieta, no Centro, no local onde o espanhol de nascimento declarado santo pela Igreja Católica foi enterrado, em 1597. É sobre o clima dessa data que o CBN Cotidiano convidou o Padre Bruno Franguelli, vice-reitor do Santuário São José de Anchieta, para trazer mais detalhes dessa história aos ouvintes.

 

 

Franguelli também lançou recentemente a obra batizada de ‘Devocionário de São José de Anchieta - Apóstolo e Padroeiro do Brasil’, que possui biografia, imagens, novena e orações. Ele explica que a intenção é facilitar o acesso ao evangelizador do Brasil e favorecer sua ação catequética nos dias atuais. “Graças a suas ações missionárias durante 44 anos em nossa pátria, São José de Anchieta tornou-se merecedor do título Apóstolo do Brasil, dado pelo bispo Dom Bartolomeu Simões Pereira, em suas exéquias”, explica.

Imagem de São José de Anchieta, na igreja em que o santo é o padroeiro, na Serra
Imagem de São José de Anchieta, na igreja em que o santo é o padroeiro, na Serra
Foto: Pedro Cunha/CBN Vitória

 

 

Na história, São José de Anchieta, jesuíta, veio para o Brasil na comitiva de Duarte da Costa, em 1553, e aqui atuou na evangelização de índios. Foi também teatrólogo, historiador e poeta. Além disso, é o único santo que viveu e morreu em terras capixabas. Questionado na entrevista à Rádio CBN Vitória por onde Anchieta passou pelo território capixaba, o religioso é enfático. "É mais fácil a gente dizer por onde ele não passou", diz bem-humorado. E destacou a presença dele em Carapina, em Nova Almeida, no colégio de São Tiago, atual Palácio Anchieta, em Vitória, em Guarapari e na própria cidade que hoje leva seu nome.

Entre várias curiosidades que padre Bruno compartilha na conversa, uma chamou atenção: quando ele explica sobre o local definido como Santuário de Anchieta. O santuário é aquele cômodo onde ele passou suas últimas horas. Mas esse local está dentro do conjunto jesuítico da Igreja de Nossa Senhora da Assunção. Ouça outras histórias na entrevista na íntegra:

Ver comentários