Notícia

Volta das academias prevê treino de até cinco pessoas por hora

Atividades aeróbicas estão proibidas. Ouça os detalhes da entrevista da secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro, à rádio CBN Vitória

Futuro da academias de ginástica no Estado, em meio à pandemia do novo coronavírus, deve ser definido nesta sexta-feira (22)
Futuro da academias de ginástica no Estado, em meio à pandemia do novo coronavírus, deve ser definido nesta sexta-feira (22)
Foto: Pixabay

As academias de ginástica, fechadas desde 19 de março deste ano, por causa da pandemia do novo coronavírus, só poderão reabrir se cumprirem as regras que estão sendo definidas pelo governo do Estado. Entre as condições estão: espaço contar com mais de 75 metros quadrados; garantir o agendamento dos usuários limitado a cinco pessoas por hora; proibição de atividades aeróbicas; distanciamento entre as pessoas de 4 metros lineares e entre os aparelhos de 15 metros quadrados, utilização de máscara de proteção, entre outras medidas. Segundo a secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro, estas regras foram construídas com a ajuda de diferentes setores, incluindo a saúde.

Em entrevista à CBN Vitória, Lenise Loureiro destacou que a confirmação, no entanto, da reabertura, se dará somente após a reunião do governo do Estado de análise do Mapa de Risco para a Covid-19, que deve ocorrer ainda esta sexta-feira (22). 

A Acages, Associação das Academias de Ginástica do ES, destaca que os empresários do setor de academias de ginástica fizeram todas as adequações propostas pelo governo do ES na última conversa, mas, diante das novas regras impostas, como a abertura do espaço para somente 5 pessoas por horário, a abertura fica inviável.  Segundo o setor, com base na reunião anterior - no dia 11 de maio -, os proprietários realizaram investimentos altos para viabilizar a reabertura nos próximos dias, mas tudo foi perdido. Isso, somado com a falta de acesso às linhas de crédito, aumenta a instabilidade e as incertezas do segmento. A previsão, segundo a associação, é de que 50% das academias sejam fechadas e a taxa de desemprego cresça.

Ver comentários