Notícia

Pesquisadora em grupo da OMS analisa vacina contra Covid para 2021

A médica Cristiana Toscano é a única brasileira convidada pela OMS a participar dos estudos de vacinas contra o novo coronavírus na América do Sul

coronavirus
coronavirus
Foto: Pixabay

Em meio às discussões científicas sobre o coronavírus, a atuação de especialistas brasileiros também tem sido de relevância no cenário de pandemia. Um exemplo é o caso da médica epidemiologista Cristiana Toscano, que foi a única da América do Sul convidada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a participar dos estudos de vacinas contra a Covid-19. Ela também é professora e pesquisadora da Universidade Federal de Goiás (UFG) e, em entrevista à Rádio CBN Vitória, detalha que pelo menos 130 vacinas estão em estudo no mundo e que a fase clínica é um dos momentos mais importantes para a pesquisa.

Compondo o Grupo Estratégico Internacional de Experts em Vacinas e Vacinação da OMS, ela explica que, entre suas funções, deve avaliar todos os estudos - resultados, a segurança, os andamentos das pesquisas sobre o coronavírus - e, com base nisso, estruturar recomendações em relação a possibilidade da introdução segura e efetiva de uma vacina. Cristina atua na área de imunizações há 20 anos, e neste período trabalhou em locais como a Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil, em Washington e depois Organização Mundial da Saúde em Genebra. 

"Ainda é cedo para saber se e quando teremos uma vacina segura e eficaz disponibilizada em grande escala para a população. Pensar em algo para 2020 é muito otimista. O mais provável é que tenhamos isso no início de 2021", analisa. 

Ouça a entrevista: