Notícia

"Covid é devastadora", diz jornalista sobre reportagem em UTI

O jornalista da redação A Gazeta/CBN Carlos Alberto Silva contou bastidores da reportagem que fez dentro de uma unidade hospitalar que trata a Covid-19

Equipe de UTI durante a manobra chamada "pronar", que ajuda o paciente a respirar melhor
Equipe de UTI durante a manobra chamada "pronar", que ajuda o paciente a respirar melhor
Foto: Carlos Alberto Silva

Por cinco dias, o jornalista Carlos Alberto Silva, da redação A Gazeta/CBN, testemunhou e registrou em vídeo e fotos a batalha da equipe da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Evangélico de Vila Velha. O resultado do trabalho foi uma série de reportagens que retrata a guerra diária contra a ameaça mortal contra o novo coronavírus.

Em conversa com o CBN Cotidiano, Carlos Alberto contou detalhes do que viu dentro da unidade Covid de terapia intensiva e descreveu a sensação de dor, angústia e adrenalina que sentiu. "Posso afirmar que a Covid é devastadora. Provoca danos ao organismo que as pessoas nem imaginam e muitas estão nas ruas sem proteção ou ficando em aglomerações", relata. 

OUÇA:

"Durante as 32 horas, ao longo de cinco dias, que passei dentro da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Evangélico de Vila Velha para registrar os bastidores da guerra diária contra o coronavírus, me despedi de quatro vidas. Entre elas a de uma jovem de 25 anos e de uma idosa de 65", destacou.. 

 VEJA VOCÊ TAMBÉM: "NA LINHA DE FRENTE"

Correria, lágrimas e gratidão: a guerra contra a Covid em hospital do ES

"Desmoronar e ganhar um abraço é necessário às vezes", diz enfermeira

 

 

 

 

Ver comentários