Notícia

Fato ou fake: o álcool em gel está mais pegajoso?

O entrevistado foi o professor do curso de Química da Universidade Vila Velha (UVV), Fernando Barcellos

Álcool em gel
Álcool em gel
Foto: Pixabay

Uma verdadeira corrida para garantir álcool em gel, item essencial para prevenir a contaminação, teve início a nível planetário logo quando a pandemia do novo coronavírus começou. E, com o passar dos meses, aumentaram a quantidade de relatos compartilhados por consumidores descreviam a sensação de um produto mais pegajoso e "melequento" após algumas semanas do surgimento da pandemia e diante da alta procura pelo produto. Fato ou fake? Para nos ajudar a tirar todas as dúvidas com relação ao assunto, conversamos, no CBN Vitória, com o professor do curso de Química da Universidade Vila Velha (UVV), Fernando Barcellos. Ouça!

O especialistas aponta, por exemplo, que por conta da covid-19, um componente essencial para que o álcool em gel fique espesso, o polímero "carbopol", passou a ficar em falta no mercado pela alta demanda. Por isso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alterou a regulamentação em sua fabricação, permitindo que empresas usem outros gelificantes, mudando sua estrutura "conhecida". Apesar de gerar dúvidas por parte dos consumidores, o alerta continua válido: enquanto não há vacina, o álcool gel continua sendo um importante aliado no combate à doença quando precisamos sair.

Ver comentários