Notícia

Colchicina acelera recuperação de casos graves de Covid, diz estudo

As explicações são da médica Letícia Pastorelli Bonjorno, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Teste para detecção do novo coronavírus
Teste para detecção do novo coronavírus
Foto: Pixabay

Um estudo clínico realizado pela Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto sinaliza que a colchicina, medicamento utilizado para o tratamento de gota (doença causada pelo aumento de ácido úrico no sangue), pode acelerar a recuperação de pacientes com covid-19 ao combater a infecção pulmonar causada pelo novo coronavírus. O artigo foi divulgado no dia 12 de agosto em uma plataforma de analises científicas, mas ainda necessita de revisão pelos pares. Um das participantes desse estudo é a Dra. Letícia Pastorelli Bonjorno, médica reumatologista pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, e pesquisadora associada do CRID (Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias). Em entrevista ao CBN Cotidiano desta quarta-feira (19), ela traz mais detalhes sobre esse estudo.

Um dos motivos que levou, por exemplo, profissionais da área de reumatologia a participarem do estudo, ela explica, é o fato da covid-19 ser uma doença que também causa inflamações e causa reação em cadeia no organismo humano. Entre os resultados, voluntários tratados com o fármaco ficaram livres da suplementação de oxigênio, em média, três dias antes do que os pacientes que receberam apenas o protocolo terapêutico padrão do hospital. Além disso, puderam voltar para casa mais cedo. Outra vantagem do fármaco, segundo os pesquisadores, é o fato de seus eventos adversos serem amplamente conhecidos pelos médicos, sendo o principal deles a diarreia. Mesmo no caso de pacientes internados em hospital, explicam os pesquisadores, os benefícios ainda precisam ser confirmados em uma pesquisa com um número maior de participantes.

Ouça as explicações completas:

 

 

 

Ver comentários