Notícia

Abertura de empresas cai no ES, mas os MEIs aumentam na pandemia

Mais de 4 mil empresas fecharam de janeiro a agosto de 2020

Sede da Junta Comercial do Estado do Espírito Santo, na Reta da Penha, em Vitória
Sede da Junta Comercial do Estado do Espírito Santo, na Reta da Penha, em Vitória
Foto: Leandro Nossa

Em destaque na CBN, abordamos o cenário de abertura e fechamento de empresas no Espírito Santo ao longo dos últimos meses. Dados da Junta Comercial do Espírito Santo (JUCEES) apontam que de janeiro a agosto deste ano foi realizada a abertura de 8.372 empresas no Estado. Em 2019, foi de 9.161 (redução de 9%). Entre março a agosto de 2020, período de pandemia, foram 4.405 baixas de empresas, contra 3.919 em 2019, no mesmo período. Em entrevista ao CBN Cotidiano, o presidente da Junta Comercial do Espírito Santo, Carlos Roberto Rafael, faz uma análise a respeito do momento vivido pelas empresas. Ouça!

"A redução de 9% é considerável, mas não se pode creditar tudo isso à pandemia. Existem alguns fatores que também interferem. A partir do final de 2019, com a Lei da Liberdade Econômica do governo federal, tivemos um cenário que permitiu com que taxas para extinção de empresas não fossem mais cobradas, sem despesas. Muitas pessoas que já tinham empresas inoperantes, nesse período, passaram a dar baixa pra regularizar a sua situação ou para buscar benefícios por parte dos governos. Aí entramos também com a ligação com esse período de pandemia. Os números são expressivos, mas as notícias não são apenas ruins", explica. Por outro lado, a quantidade de Microempreendedores Individuais (MEIs) cresceu no Estado.

Os dados: 

MEIs

Formalizações:

Janeiro a agosto (2019) - Cerca de 39.500

Janeiro a agosto (2020) - 42.868

Aumento de cerca de 9%

***

Baixas:

Janeiro a agosto (2019) - 15.699

Janeiro a agosto (2020) - 8.362

Ver comentários