Notícia

Doação de órgãos é negada por 56% das famílias consultadas no ES

Campanha Nacional de Incentivo à Doação traz este ano o slogan "Doe órgãos. A vida precisa continuar". A campanha tem como objetivo sensibilizar a população quanto a importância da doação para salvar a vida de muitas pessoas que aguardam por um transplante

O Ministério da Saúde acaba de lançar a Campanha Nacional de Incentivo à Doação, que este ano traz o slogan “Doe órgãos. A vida precisa continuar”. A campanha tem como objetivo sensibilizar a população quanto a importância da doação para salvar a vida de muitas pessoas que aguardam por um transplante.

Neste momento de pandemia causado pelo coronavírus, no mundo inteiro e no Brasil têm sido observadas queda nas doações de órgãos e nas realizações de transplantes.  No Espírito Santo, 1.357 pessoas estão à espera de um transplante de órgão. É o que apontam os dados atualizados da Secretaria Estadual da Saúde a pedido da CBN Vitória. O número de transplantes realizados no Estado diminuiu quase 50% nesses nove meses de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado. No Brasil, a fila para transplantes ultrapassa a marca de 46 mil pessoas.

 De acordo com a coordenadora da Central Estadual de Transplantes do Espírito Santo (CET-ES), Maria Machado, entrevistada desta edição do CBN Vitória, um dos fatores que levam à baixa no número de transplantes é a recusa da família. “Apesar do número de notificações de pacientes em morte encefálica não ter sofrido impacto significativo durante esse período de pandemia da Covid-19, nós enfrentamos a questão da recusa dos familiares, que apresentou um aumento preocupante”, afirmou a coordenadora. Com base nos dados enviados à CBN, o índice de recusa é 55,88%. Para ser doador de órgãos não é necessário realizar cadastro. A pessoa deve apenas informar a família sobre o seu desejo.

 

Ver comentários