Notícia

Máscara inteligente muda de cor quando outra pessoa se aproxima

Conheça os projetos desenvolvidos pelas universidades brasileiras contra a Covid-19 na entrevista com a coordenada da proposta, Denise Dantas

A pandemia fez com que o universo de arquitetura também passasse a olhar para o desenvolvimento de ações contra a covid-19 e o cenário do isolamento social. Um exemplo disso é o projeto internacional "Design for Emergency", iniciativa apresentada no contexto da pandemia para entender as necessidades, hábitos e emoções das pessoas vivendo reclusas. O projeto foi lançado pelo Centro de Design da Universidade de Northeastern, localizada em Boston (EUA). A versão brasileira é coordenada pela professora doutora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), Denise Dantas, entrevistada desta edição do CBN Vitória.

"Num momento onde se fala tanto em cortes na ciência, a gente mostra que as universidades não pararam de trabalhar e nosso objetivo é engajar profissionais na busca por soluções para problemas e necessidades do cotidiano de pessoas em isolamento social", explica. Ao todo, a versão nacional levou cerca de um mês, desde o lançamento até a divulgação do resultado, e contou com 40 propostas que buscavam mostrar como o design poderia ajudar a população durante e após a pandemia. Vinte projetos foram aceitos e publicados na plataforma aberta do Design for Emergency.

Alguns destaques são:

HIGIENIZADOR MODULAR: O produto é um dispenser modular e portátil para substância higienizadora (álcool em gel ou sabão líquido), podendo ser utilizado como pulseira, chaveiro ou pendente. Feito de silicone, é modular, composto por 3 peças: a pulseira, o módulo dispenser e o pino de segurança. O uso é prático e intuitivo, a inserção do fluido é realizada através de três etapas simples: retirada do pino de vedação, preenchimento do módulo com o líquido e re-colocada do pino. Para utilização do produto deve-se pressionar o módulo que vai expelir o líquido por um pequeno furo presente no dispenser.

"XÔ MULTIDÃO": O coronavírus é característico pela transmissão aérea e sintomas que podem ser letais. Visto isso, percebe-se que há a necessidade de saber como estabelecimentos estão lidando com a situação de pandemia. Sabendo dos riscos, informações como lotação e ações que um determinado local está tomando para reduzir circulação de pessoas é essencial, uma vez que todos podem ser contaminados. Por isso tivemos a ideia de um aplicativo que informa a lotação de lugares como mercados e farmácias, visando diminuir o fluxo de pessoas e tempo de permanência e espera no local

Um dos esboços do projeto internacional "Design for Emergency"
Um dos esboços do projeto internacional "Design for Emergency"
Foto: Divulgação

"HUGA": Huga é uma estação de descontaminação para casas. Possui uma prateleira inferior para sapatos, uma área com uma bacia para descontaminação de máscaras de tecido em uma superfície onde também o usuário pode colocar um dispensador de álcool em gel. Os móveis também contam com um cabide para casacos e roupas que serão usadas para sair outras vezes, além de alguns ganchos para secar as máscaras. Todas as atividades que são necessárias podem ser realizadas pelo usuário antes de entrar em casa, portanto o risco de levar o vírus COVID-19 para dentro é mínimo. A peça otimiza o tempo de quem precisa sair de casa para realizar alguma tarefa e, quando retornar, não precisa se preocupar em esquecer as etapas para estar livre de vírus mais uma vez.

"MÁSCARA INTELIGENTE": Muitos brasileiros tiveram que manter sua rotina normalmente mesmo durante a pandemia e não puderam seguir o isolamento social e, diante da retomada das atividades, como a reabertura do comércio e o breve retorno das aulas presenciais nas instituições educacionais, o distanciamento entre as pessoas torna-se ainda mais desafiador em situações na qual a interação social é praticamente inevitável. A máscara inteligente tem um microcontrolador acoplado no tecido, com sensores de distanciamento que emitem sinais visuais e/ou sonoros quando uma pessoa está a menos de dois metros da outra, distância considerada segura para evitar o contágio do vírus. O produto é uma solução para otimizar a nova organização do cotidiano urbano na retomada das atividades, principalmente das atividades escolares, de maneira lúdica e intuitiva para reeducar crianças aos novos costumes de interação social.

 

 

Ver comentários