Notícia

Estudo comprova presença do coronavírus em células do cérebro

Ouça a entrevista concedida pelo professor da USP e um dos coordenadores da análise, Thiago Mattar Cunha, à CBN Vitória

Coronavírus
Coronavírus
Foto: Pixabay

Um estudo brasileiro, publicado na última terça-feira (13) por um dos portais de divulgação científica da renomada Universidade de Yale (EUA), constatou que o novo coronavírus - o Sars-Cov-2 - realmente afeta o cérebro. Desde o início da pandemia, já vem sendo relatado quadros de alterações neuropsiquiátricas, como perda de memória e ansiedade, em pacientes infectados e havia uma lacuna na comprovação da atuação do vírus nos tecidos cerebrais. Agora, ficou comprovada a presença do Sars-Cov-2 em células do sistema nervoso central, através de autópsias. Em entrevista à CBN Vitória, o professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e um dos coordenadores da análise, Thiago Mattar Cunha, detalha os resultados encontrados. Ouça!

 

 

 

"Nós sabíamos que a covid-19 não é uma doença que se restringe ao pulmão, mas precisávamos entender se as alterações neurológicas eram mais periféricas no corpo ou se realmente chegavam ao cérebro. Através de autópsias minimamente invasivas no tecido cerebral de pacientes infectados que vieram a óbito, conseguimos identificar o Sars-Cov-2 no sistema nervoso central e a reprodução do vírus nessas células", explica. 

 

 

A avaliação do momento é levantar dados na pesquisa se neste ponto, para os paciente vivos, o vírus pode provocar danos cognitivos, por exemplo, e qual extensão deles. 

Ver comentários