Notícia

Saiba como identificar falsas vagas de emprego na internet

Ouça as dicas e orientações da vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Espírito Santo (ABRH-ES), Neidy Christo

O impacto da pandemia da covid-19 no mercado de trabalho. A crise advinda pelos efeitos do novo coronavírus também tem influenciado diretamente na economia e feito com que muitos trabalhadores passem a buscar vagas de emprego na internet, com o objetivo de garantirem uma realocação profissional. Consultorias de recursos humanos apontam, por exemplo, que com o cenário de desemprego nos últimos meses é perceptível o número de fraudes e crimes cibernéticos "mascarados" como vagas de emprego. Em entrevista à rádio CBN Vitória neste sábado (03), Neidy Christo, vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Espírito Santo (ABRH-ES), traz orientações sobre como não cair nessas armadilhas.

"Muitas vezes as pessoas têm impressão de que esse tipo de golpe acontece com poucas pessoas, que não é comum ou vai me atingir. Mas a gente sabe, infelizmente, que temos aqueles que se aproveitam de um momento de desespero e complexidade e efetuam esses golpes. Não dá pra gente ter 100% de certeza quando a gente olha alguma coisa na internet. Por isso algumas dicas são importantes", orienta. Entre as dicas:

- Fazer cadastro em site confiável: Cada um que busca uma vaga de emprego, provavelmente, conhece o lugar/localidade de onde busca aquela vaga. E quando a gente está dentro de um estado, normalmente, ouve algum tipo de informação sobre determinada empresa. Se você nunca ouviu falar, ou não tem referência, é importante a gente buscar informações de quem está mais inserido nesse mercado. Se, hoje, você vai fazer o seu cadastro num determinado site, olhou, não lembrou o nome daquela empresa, mas você tem algum amigo ou conhece alguém que possa te dar uma informação melhor (se aquela empresa é conhecida ou não), faça isso!

- Atenção aos dados pessoais: Não devemos de jeito nenhum cadastrar nossos dados pessoais em sites

em que a gente não conhece ou algum amigo conheça. Preserve, sempre, seus dados.

- Pedido de dinheiro: Nunca podemos depositar dinheiro pra nenhuma empresa de recrutamento de seleção. Isso não existe! Nenhuma empresa séria vai pedir seu dinheiro pra que você faça cadastro em site. Se pediu dinheiro, pode sair dessa. É importante até denunciar essa prática.

- Empresas que cobram cursos: Outra questão: empresas prometendo emprego, mas antes do emprego você precisa fazer determinado curso e pra isso você precisa pagar. Isso não é prática de uma empresa que seja ética e confiável. Se você precisa fazer um curso ou não, isso a organização vai avaliar antes de contratar [informando sobre essa necessidade ao interessado na vaga], mas não vinculando esse treinamento a ela. Ou, ainda, vai informar que em caso de contratação vai te ajudar a fazer esse curso. Não tem ligação!

- Desconfie dos links: Claro que sabemos que hoje links são enviados não apenas pra nos enganar a respeito de vagas de emprego, mas também senha de bancos, invasão de celulares e computadores. Recebeu um link de um lugar que você nunca viu na vida, não clica! Como checar? Pegue aquele link, olhe o 'nome' e faça uma pesquisa no buscador da internet. Tem dificuldade de acesso à internet ou não domina o ambiente virtual? Peça ajuda!

[Fonte: ABRH-ES]

Ver comentários