Notícia

PF investiga fraudes relacionadas a imóveis do acervo da Caixa

Ouça entrevista com o superintendente Regional da Polícia Federal no Espírito Santo, Jairo Souza da Silva

A Polícia Federal deflagrou, na última terça-feira (17), a "Operação Pesadelo", com o objetivo de combater fraudes relacionadas a imóveis do acervo patrimonial da Caixa Econômica Federal. A operação contou com a participação de nove policiais federais e foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em Aparecida de Goiânia, Goiás, na casa e no escritório de um advogado investigado. Segundo a PF, o inquérito policial foi instaurado a partir de comunicação de crime feita pela Caixa informando que imóvel do seu acervo patrimonial, localizado em Vila Velha, no Espírito Santo, e avaliado em R$ 2 milhões, havia sido invadido. Em entrevista à CBN Vitória, o superintendente Regional da Polícia Federal no Espírito Santo, Jairo Souza da Silva, explicou que ao ser questionado, o invasor alegou que havia comprado a residência mediante “acordo judicial” com a CAIXA, por intermédio de um advogado de Goiás, no valor total de 550 mil reais. 

Com o avanço das investigações, concluiu-se que o advogado simulou um acordo entre o invasor e a Caixa, falsificando a assinatura do representante da instituição bancária. Na sequência, o advogado investigado protocolou o falso acordo em processo em trâmite na Justiça Federal e recebeu do invasor 55 mil reais a título de entrada. No cumprimento dos mandados de buscas foram apreendidos outros 06 acordos falsos, indicando provável participação do investigado em outras fraudes similares, bem como equipamentos de mídia que serão submetidos a perícia em continuidade a investigação.

Ver comentários