Notícia

Uma em cada cinco mulheres tem risco de sofrer um infarto

Ouça entrevista com o médico cardiologista Diogo Barreto, coordenador do serviço de cardiologia do Hospital Evangélico de Vila Velha

Estudos apontam que no Brasil, uma em cada cinco mulheres tem risco de sofrer um infarto. As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte entre as mulheres, de acordo com o Ministério da Saúde, com base até o ano de 2020.  Em entrevista à CBN Vitória, o médico cardiologista Diogo Barreto, coordenador do serviço de cardiologia do Hospital Evangélico de Vila Velha, traz as explicações sobre o tema. E destaca que o risco de um infarto, por exemplo, aumenta após a menopausa.

"A gente sabe que antes da menopausa o estrogênio 'protege' a mulher. Ela na idade fértil tem esse fator protetor. Já a mulher pós-menopausa, principalmente cinco a 10 anos após, ela iguala ou aumenta o risco de ter infarto em relação ao homem. O médico aponta que estudos mostram que a mudança do padrão de vida das mulheres tem influenciado nessas ocorrências.

Ver comentários