Notícia

Unidos de Barreiros entra com atraso e sem Comissão de frente

A agremiação ainda finalizava os carros alegóricos e as alas quando foi dado o sinal verde para o desfile

A Unidos de Barreiros, primeira escola a desfilar neste sábado (30) no Carnaval de Vitória, entrou na avenida com 31 minutos de atraso. A vermelho e Branco de São Cristóvão, Vitória, contou a história de vida do cantor Martinho da Vila com o enredo "Um sonho, de um sonho do Poeta. É Martinho lá da Vila".

A agremiação ainda finalizava os carros alegóricos e as alas quando foi dado o sinal verde para o desfile. A bateria, composta por 160 ritmistas, representou o congo e a África. A Comissão de frente não chegou a tempo para abrir o desfile. Três passistas fizeram esse papel. A escola desfilou com apenas três carros alegóricos. Cada alegoria representou uma época da vida de Martinho.

Homenageado não compare

O homenageado da agremiação não participou do desfile. De acordo com o diretor geral de harmonia da Barreiros, Fábio Correa, foi por causa de agenda. "O Martinho da Vila sabe que está sendo homenageado, mas ele tem shows neste final de semana, por isso, não veio para o desfile", contou.

O samba-enredo, que fala também sobre a Madalena da Barra do Jucu, caiu no gosto do público, que cantou junto com a escola. A agremiação deixou muitos buracos entre as alas e correu para recuperar o tempo perdido no início. A última ala a entrar na passarela do samba foi a das Baianas. Elas estavam fantasiadas de lavadeiras, em homenagem ao samba-enredo de Martinho da Vila de 1969.

A Unidos de Barreiros conseguiu terminar o desfile dentro do prazo regimental, com 01h07:42.

Ver comentários