Notícia

Lars Grael tem a perna direita decepada em disputa no Espírito Santo

Embarcação que provocou o acidente era conduzida pelo empresário Carlos Guilherme de Abreu e Lima, que navegava pelo local quando invadiu a área da prova, disputada pelo velejador

Enseada de Camburi, Vitória, 6 de setembro de 1998. Durante a 44ª Taça da Cidade de Vitória de Vela, a participação do velejador olímpico Lars Grael na disputa foi interrompida. Antes da largada da segunda regata da competição, o barco da classe Tornado, em que o atleta estava, foi atingido pela lancha Laguna I, causando um grave acidente.

 

A embarcação era conduzida pelo empresário Carlos Guilherme de Abreu e Lima, que navegava pelo local quando invadiu a área da prova. Grael perdeu a perna direita, que foi decepada pela hélice da Laguna I.

Horas após o acidente, o irmão de Lars, o também velejador Torben Grael garantiu que a família iria às últimas consequências para responsabilizar os envolvidos no acidente. "Olha, com certeza nós vamos usar todos os meios para que essa pessoa responda pelo ato irresponsável que ele teve", afirmou.

 

Em agosto de 2000, a justiça condenou o empresário Carlos Guilherme de Abreu e Lima por crime “culposo”, quando não há intenção de praticá-lo. A sentença proferida foi de 11 meses de prisão, com atenuantes que reduziram a pena para 8 meses, e depois substituída por pena alternativa de prestação de serviços gratuitos à comunidade. Antes do acidente, Lars Grael havia conquistado medalhas de bronze nas Olimpíadas de Seul em 1988 e Atlanta de 1996.

Ver comentários