Notícia

Carretas são flagradas com 35 toneladas de excesso na Serra

Na última semana, uma carreta carregada com uma pedra de granito com 11 toneladas de excesso causou um acidente

Carretas são apreendidas com 35 toneladas de excesso de carga
Carretas são apreendidas com 35 toneladas de excesso de carga
Foto: Reprodução/TV Gazeta

Não bastou a tragédia da última semana, com 23 mortos na BR 101 do Espírito Santo, duas carretas de uma mesma empresa foram flagradas com mais de 35 toneladas de excesso na Serra na noite desta terça-feira (26). Os veículos carregados com duas pedras de granito cada estavam com 21 toneladas a mais em um e 14 toneladas de excesso em outro. A situação foi flagrada no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Serra.

Para piorar a situação, as pedras estavam soltas e com lonas por cima, para intimidar a fiscalização no meio do caminho. Segundo a PRF, os veículos vieram do Rio Grande do Norte, andando mais de 2 mil km em cinco dias. As carretas iriam para Castelo e Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado.

Os motoristas disseram à reportagem da TV Gazeta que não foram parados durante o trajeto até o Espírito Santo. O superintendente da PRF no Espírito Santo, Wylis Lyra, explicou à reportagem da CBN Vitória que os envolvidos foram multados pela PRF e assinaram um termo circunstanciado, respondendo agora criminalmente pelo Ministério Público Estadual (MPES). O valor da multa não foi informado. “Precisamos que todos tenham consciência de que as infrações de trânsito e, nesse caso, o excesso de peso são fatores causadores de acidentes ou que agravam os acidentes. Precisamos que os transportadores tenham uma participação mais profunda na segurança do trânsito”, pontuou.

Na última semana, uma carreta carregada com uma pedra de granito com 11 toneladas de excesso causou um acidente com um ônibus e duas ambulâncias, matando 23 pessoas na BR 101 em Guarapari. A PRF explicou que, em casos de excesso de peso, libera os veículos e as pedras assim que o excesso é retirado, com apoio de outros carretas. Outras irregularidades não foram encontradas na Serra. 

O Presidente do Sindicato das Empresas de Rochas Ornamentais do Espírito Santo (Sindirochas-ES), Tales Machado, defendeu a apreensão e acredita que quem está irregular deve ser parado, sendo responsabilidade principalmente das empresas de transportes. “Tem que parar os carros. Se não estão de acordo com a legislação, não podem andar na BR”, disse.

OUTRO LADO

A concessionária da BR 101, a Eco 101, disse que já fez a recuperação de três balanças no Espírito Santo: em Linhares, na Serra e em Rio Novo do Sul, mas que não é a responsável pela fiscalização. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) disse que a fiscalização é feita mediante a programação, levando em conta o horário de movimento e o número fiscais.

A responsável pelas carretas, a Vigor Transportes, disse que enviou outros veículos para pegar as pedras apreendidas. Sobre o excesso de peso, a empresa disse apenas que está apurando o que houve.

Ver comentários