Notícia

'Blitz' constata superlotação e até mofo no Hospital Infantil

Vistorias foram realizadas no Infantil de Vitória e no antigo São Lucas

OAB encontra diversas irregularidades no Hospital Infantil de Vitória e no antigo Hospital São Lucas
OAB encontra diversas irregularidades no Hospital Infantil de Vitória e no antigo Hospital São Lucas
Foto: Divulgação/OAB

Uma série de vistorias realizadas pela Comissão de Direitos Humanos da OAB-ES constatou várias irregularidades no Hospital Infantil de Vitória e no Hospital Estadual de Urgência e Emergência (Antigo São Lucas). Segundo a vice-presidente da Comissão, Flávia Santos Murad, a situação mais crítica é a do Hospital Infantil, onde foram encontrados mofos, goteiras e infiltrações, além da superlotação que existe nos dois locais.

"Outro problema no Hospital Infantil é a superlotação, que também acontece no São Lucas. O atendimento no pronto-socorro do Hospital Infantil é caótico. As crianças são atendidas juntas com os bebês, com os adolescentes, todos no mesmo espaço aglomerados", relata.

No antigo São Lucas, faltam leitos de retaguarda na enfermaria para acomodar toda a demanda recebida. A rede básica, conhecida como Pronto Atendimento (PA), segundo a comissão, não funciona de maneira eficiente. Apesar disso, a representante da OAB destaca o esforço dos servidores da saúde para atender os pacientes.

"É importante ressaltar é o corpo de profissionais da saúde que atendem tanto no Hospital Infantil quanto no antigo São Lucas. Estão trabalhando com uma estrutura inadequada mas eles estão aumentando os esforços para atender todos", reforça.

As vistorias foram feitas nos meses de junho e julho, a partir de denúncias feitas à Ordem. Com todas as informações reunidas, a Comissão vai produzir um relatório que será encaminhado ao Conselho Seccional da Ordem para as devidas providências.

O OUTRO LADO

Sobre o Hospital Infantil, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) afirma que o pronto-socorro será transferido para o HPM ainda este mês. Com a mudança, o número de leitos pediátricos subirá de 171 para 294. Sobre o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, a pasta diz que a alta demanda é sazonal e que os pacientes que foram vistos no corredor estavam em observação aguardando para terem alta ou serem transferidos para outros setores.

Ver comentários