Notícia

Polícia pede prisão de motorista que provocou morte de 11 pessoas

Segundo o delegado Rômulo Carvalho, o dono da carreta também é responsável pela tragédia porque sabia das condições do veículo.

Foto: POLÍCIA MILITAR/DIVULGAÇÃO

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do motorista e do dono da carreta que transportava granito envolvida no acidente que matou 11 pessoas na BR 101, em Mimoso do Sul.

O motorista Wesley Rainha Cardoso e o dono da carreta Marcelo José de Souza foram indiciados por homicídio doloso - quando há intenção de matar - com dolo eventual e tentativa de homicídio.

O acidente aconteceu no dia 10 de setembro e envolveu dois caminhões, um Ford Ka e um micro-ônibus. Onze pessoas morreram e nove ficaram feridas. Todos os mortos estavam no micro-ônibus e a maioria era integrante de um grupo de dança alemã.

O inquérito foi concluído nesta semana. A investigação apontou que o motorista agiu com imprudência no volante. Ele não tinha permissão para transportar rochas ornamentais e nem o caminhão era preparado para esse tipo de transporte. O pneu dianteiro esquerdo também estava desgastado.

O motorista dirigia com a velocidade acima do permitido - com uma média de 87 km/h e um pico de mais de 110 km/h, em um trecho que tem como limite máximo 80 km/h.

Segundo o delegado Rômulo Carvalho, o dono da carreta também é responsável pela tragédia porque sabia das condições do veículo.

"Ao empregar um motorista que não era habilitado para o transporte de rochas ornamentais, ao colocar um veículo que não era preparado para esse tipo de transporte, sem condições para realizar esse transporte. A participação dele foi essencial para que essa tragédia ocorresse ", contou.

O pedido de prisão preventiva foi feito à Justiça. Caso o judiciário não acate as prisões, a polícia pede a suspensão da CNH do motorista e que o dono da carreta seja também proibido de disponibilizar veículos para transporte de rochas.

Ver comentários