Notícia

Vendedores driblam desemprego e garantem renda nas praias no verão

Picolés, água de Coco e comida saudável são os produtos mais procurados na estação, segundo o Sebrae

Sandra Souza vende bebidas com o marido na Praia de Costa
Sandra Souza vende bebidas com o marido na Praia de Costa
Foto: Caíque Verli | CBN Vitória

Para quem está desempregado ou quer ter uma renda extra, o verão pode ser uma boa época para ganhar dinheiro nas praias do Espírito Santo. Picolés, água de coco e comida saudável são os produtos mais procurados na estação, segundo o Sebrae.

A venda nas praias têm sido uma saída para quem perdeu emprego na crise econômica, que abalou o Brasil nos últimos anos. A vendedora Sandra Souza começou a comercializar bebidas no ano passado na Praia da Costa, em Vila Velha, após ela e o marido ficarem três anos desempregados. O casal tem nove filhos, três deles pequenos, e estava em desespero para sustentar a casa.

"Fazia faxina, mas não estava dando certo. Ele também fazia bicos, mas também não dava certo. Aí nós viemos para cá [Praia da Costa] para sustentar a família da gente. Temos muitos filhos pequenos e essa foi a solução: trabalhar na praia", conta Sandra.

Quem também consegue o suficiente para sustentar a família com o trabalho nas areias, mas na Praia de Camburi há 20 anos, é a Márcia Lopes, que trabalhava como merendeira em Vitória.

"Na época fiquei desempregada e foi o ramo que achei. O próprio ambulante que conhecia me incentivou a isso. Disse que dava para ganhar um dinheiro e pagar as contas. Gostei da ideia e estou aqui há 20 anos", lembra.

Márcia Lopes começou a trabalhar na praia depois de ficar desempregada
Márcia Lopes começou a trabalhar na praia depois de ficar desempregada
Foto: Caíque Verli

Usar o FGTS para investir em um negócio na praia pode ser o pontapé inicial para empreender, segundo o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, mas a analista do Sebrae, Jéssica Tristão, alerta que é preciso se planejar para também não jogar dinheiro fora.

"É sugerido sempre que antes de empreender a pessoa planeje a abertura do negócio, porque dessa forma você vai entender o quanto aquilo vai te custar, avaliar os cenários positivos, e se preparar para lidar com essa área. Às vezes, você tem um recurso em mãos e não sabe como vai usar", alertou.

Segundo o Sebrae, é importante, antes de iniciar as vendas, estudar como vai ser o funcionamento, quantos parceiros e fornecedores vai precisar, a localização e se há muitos concorrentes no espaço. Além disso, tem que levar em conta as características do público que frequenta a praia e se esses clientes estarão dispostos a pagar o preço do produto. Os ambulantes também precisam de uma autorização da Prefeitura para atuar na praia. 

Dicas do Sebrae para empreender nas praias

 - Identifique oportunidades

Olhe para aquilo que você gosta de fazer ou consumir. Uma comida que você tenha facilidade de fazer e que não tenha tanta gente vendendo nas areias, por exemplo. Mas lembre-se que é preciso ter autorização da Prefeitura

- Demanda

Analise a demanda do produto que queira vender na praia. Acha que tem pouca procura? Ou já tem gente de mais vendendo para pouco cliente? Corra atrás de outra opção então.

- Operação

Não se esquecer de analisar, antes de começar as vendas, como vai ser a operação - horário de funcionamento, se vai precisar de ajudante, quantos e quais fornecedores são necessários.

- Preço 

É preciso avaliar também os valores. Qual será o seu gasto com as "matérias-primas"? E o seu lucro com cada venda? Analise se o preço cobrado está dentro do padrão das pessoas que frequentam a praia.

 

 

Ver comentários