Notícia

Polícia capixaba poderá monitorar conversas por WhatsApp

Investimento em nova tecnologia vai aprimorar a vigilância da comunicação entre criminosos, possibilitando, inclusive, o monitoramento de conversas por WhatsApp ou aplicativos semelhantes. Anúncio foi feito pelo secretário de Segurança Pública nesta quinta (22)

A coletiva da linha de crédito aprovada pelo BNDES aconteceu nesta quinta-feira (22)
A coletiva da linha de crédito aprovada pelo BNDES aconteceu nesta quinta-feira (22)
Foto: Fred Loureiro | Secom-ES

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) anunciou, nesta quinta-feira (22), um investimento de cerca de R$ 184 milhões nas Polícias Civil e Militar entre 2019 e 2021. Entre os investimentos que serão feitos, está o aprimoramento da vigilância da comunicação entre criminosos, possibilitando, inclusive, o monitoramento de conversas por WhatsApp ou aplicativos semelhantes. Outra novidade é a compra de câmeras que serão usadas acopladas aos coletes balísticos dos agentes.

A maior parte dos recursos (R$ 165.842.146,89) foi obtida por meio de uma linha de crédito aprovada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O restante (R$ 18.426.905,21) será investido com recursos do próprio Estado.

De acordo com o secretário estadual de Segurança Pública, Nylton Rodrigues, um dos investimentos mais importantes será em inteligência policial, o que vai agilizar, facilitar e tornar mais efetivas investigações e ações policiais. O secretário afirmou que o Estado está importando tecnologias de Israel para aprimorar o trabalho.

> Secretário de Segurança Pública mantém crítica à anistia de PMs

Nylton Rodrigues também afirmou que, do ponto de vista da inteligência, o Espírito Santo sai de um patamar intermediário e passa para um patamar máximo de eficiência no setor. Com o investimento, o secretário afirmou que será possível monitorar qualquer tipo de comunicação, inclusive aplicativos de mensagem.

“A inteligência policial do Espírito Santo passa a ser a número um do Brasil, com certeza, porque seremos os primeiros a obter esse tipo de tecnologia. Nós queremos sair do nível de monitorar apenas ligações telefônicas para monitorar qualquer tipo de comunicação”, afirmou.

Outra novidade será a aquisição de 300 câmeras acopláveis em coletes balísticos para a Polícia Militar e outras 100 para a Polícia Civil. Segundo o secretário, esse equipamento traz mais possibilidades de identificação de criminosos durante patrulhamento e, também, podem servir como provas em situações de possível abuso policial.

Também serão feitos investimentos em obras consideradas prioritárias, como a construção de um Centro de Inteligência para a PM, do 10º Batalhão em Guarapari e da Delegacia Regional de Cachoeiro de Itapemirim.

Além disso, haverá investimentos na compra de materiais básicos de trabalho, como coletes balísticos, viaturas policiais e armamentos. Com os recursos, também serão adquiridos equipamentos como computadores, drones para observação e torres de radiocomunicação.

Ver comentários