Notícia

Diplomas falsos: operação mira diretores e sócios de faculdades no ES

A ação visa cumprir oito mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão

Registro da primeira fase da operação que investiga diplomas falsos
Registro da primeira fase da operação que investiga diplomas falsos
Foto: Arquivo/ Divulgação Ministério Público do ES

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) deflagrou nesta terça-feira (26) a operação 'Pontas Soltas", que investiga a emissão de diplomas de graduação e certificados de pós-graduação de forma fraudulenta. A ação, que mira diretores, sócios e funcionários de faculdades e institutos educacionais do Espírito Santo, visa cumprir oito mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão nos municípios de São Mateus, São Gabriel da Palha, Fundão, Serra, Vitória, Cariacica e Guaçuí.

Os nomes dos alvos ainda não foram divulgados. "Pontas Soltas" é um desdobramento e sexta fase da operação "Mestre Oculto", cuja primeira fase foi deflagrada em julho de 2018, com a prisão de quatro professores na Região Norte do Estado. A operação tinha como alvo um esquema criminoso para a obtenção de diplomas falsos de ensino superior, com o objetivo de conseguir nomeações em cargos públicos.

A nova etapa da operação, coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Norte) e pela Promotoria de Justiça de Rio Bananal, com auxílio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES, recebeu o nome de “Pontas Soltas”, devido aos novos núcleos de atuação da organização criminosa que foram identificados ao longo das investigações.

Os investigadores chegaram aos alvos da operação após acordos de colaboração premiada envolvendo investigados nas fases anteriores da operação "Mestre Oculto".

Ver comentários