O golpe do fiador de aluguel

Apesar de antigo esse tipo de ação, por parte de estelionatários, continua fazendo vítimas

Publicado em 22/06/2015 às 15h59
Atualizado em 22/05/2021 às 03h32

Este vídeo pode te interessar

O golpe do fiador de aluguel é antigo. Mas tem gente que ainda cai. Funciona assim: estelionatários clonam documentos, colocam anúncios se oferecendo como fiadores e cobram valores até baixos pelo serviço. É a isca perfeita para quem não tem como arrumar um fiador ou não conhece outras formas de garantia de locação disponíveis.Se o inquilino for um bom pagador, a vítima do golpe pode vir a não descobrir nunca que teve o nome envolvido em um golpe. Agora, se o inquilino for um mau pagador, esse fiador que nem sabe das atribuições pode ter o nome incluído em listas de inadimplência.No caso do dono do imóvel, mesmo com as garantias da Lei do Inquilinato, não há garantia de agilidade no recebimento dos aluguéis não pagos se o inquilino ficar inadimplente. Vale lembrar que a figura do fiador profissional não é ilegal. Ele pode oferecer seus serviços, mas tem que ser uma pessoa idônea.Então, vamos às dicas para não cair no golpe. Antes de contratar um fiador a partir de anúncio, pela referências, como endereço e telefone de imobiliárias que têm inquilinos com aluguéis garantidos por ele. Deixe claro que o pedido é para sua garantia. Se ele recusar, já é motivo para desconfiar. Os mesmos cuidados valem para o proprietário do imóvel.Uma indicação de provável golpe é quando o anúncio do falso fiador diz que os serviços são prestados até para quem tem restrição de crédito. É difícil alguém querer ser fiados nesse caso.Vale lembrar que o inquilino tem como opções, se não tiver um fiador, de seguro fiança ou caução. O seguro é como o de um carro: o usuário pago um valor por ano e não recebe de volta no final do prazo se não usar. No caso da caução, há um depósito de três meses de aluguel, que é devolvido ao final do prazo do contrato, se não houver inadimplência.