Reunião definirá se setor de eventos terá regras flexibilizadas

Ouça entrevista com secretária Estadual de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro

Publicado em 04/12/2020 às 12h18
Atualizado em 18/05/2021 às 00h15

O setor de eventos, em reunião esta semana com o governo do Estado, fez uma nova proposta de funcionamento do setor em meio ao aumento dos casos de Covid-19. A reunião aconteceu nesta quinta-feira (03) e as propostas apresentadas serão discutidas em uma nova reunião da sala de situação e controle marcada para a tarde desta sexta-feira (04), como explica em entrevista à CBN Vitória, a secretária Estadual de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro. A secretária explicou que apresentações culturais não estão proibidas em eventos sociais e corporativos, desde que sigam todas as medidas do decreto. 

O setor alega que precisa, com extrema urgência, da retomada das atividades e medidas emergenciais para minimizar os impactos sofridos pelo segmento, além de oferecer competitividade para que as empresas se mantenham ativas.

PROTOCOLO PARA RETOMADA IMEDIATA

Nesta primeira fase da retomada do Setor de Entretenimento, os eventos poderão

retornar com os seguintes protocolos de saúde e segurança:

 

- Será proibida a entrada de indivíduos maiores 60 anos;

- Comunicação clara e efetiva para Indivíduos do grupo de risco e portadores de

doenças crônicas, que serão aconselhados a não comparecerem, até que os índices

melhorem;

- Deverão ser disponibilizadas mesas e cadeiras para 100% do público presente,

de forma que se garanta um distanciamento entre as pessoas;

- As mesas deverão respeitar espaçamento de, no mínimo, 1,5m de distância

entre elas;

- Não ter pista de dança;

- Aferição de temperatura de clientes e funcionários

- Obrigatório o uso de máscaras para clientes, funcionários e fornecedores, com

exceção para clientes consumindo alimentos e bebidas.

- Toda equipe de trabalho utilizará seu próprio equipamento (EPI s, rádios,

telefones, etc.);

- Disponibilização de pontos de álcool em gel ou 70% para clientes e funcionários;

- Completa higienização de piso, corrimãos, assentos, superfícies, banheiros, etc.

- Comunicação/Organização de forma escalona para chegada e saída do público,

a fim de evitar aglomerações;

- Comunicação clara e efetiva sobre obrigatoriedade do uso de máscaras,

práticas de distanciamento, etc.;

- Comunicação incentivando a utilização de cartões digitais para pagamento;

- Proibida operação de vallet e manobristas

- A venda antecipada de ingressos deverá ser toda feita pela internet, via

websites e aplicativos. Será permitida somente a venda presencial de ingressos no dia

do evento (preferencialmente através de totens eletrônicos), desde que se mantendo as

medidas de distanciamento, uso de máscaras e

disponibilização de álcool em gel;

- Os ingressos deverão, preferencialmente, ser

lidos através de Escaneamento ou com apresentação

pelo celular.

- Abertura dos portões com pelo menos 2h de antecedência do início do evento;

- Implantação de corredores de via (entrada / saída / banheiros / caixas / bares)

para coordenar o fluxo de público, respeitando distanciamento;

- No caso das revistas, elas deverão acontecer através de detectores de metais e

o cliente deverá exibir sua bolsa/pertences quando necessário;

- Proibida ações de divulgação através de panfletagem, personagens e fotos em

painéis;

- Proibida atendimento de público em camarins, assim como ações de foto e

autógrafos;

- Retirada de intervalo de eventos

- Oferecer ambientes de isolamento, no caso de alguém apresentar sintomas na

entrada e durante o evento, até a sua retirada do local;

- Utilização de talheres, pratos e copos descartáveis;

- Incentivo a vendas de produtos (Alimentos e bebidas) online;

- Máquinas de cartão de crédito, rádios, devem ser higienizados frequentemente,

e ser envolvidos com papel film, para facilitar a limpeza;

 

Capacidade de público

São propostos os seguintes padrões para limitar capacidade de público:

Espaços fechados e dotados de equipamentos de refrigeração, ar condicionado e sem ventilação natural: Utilização de, no máximo, 30% da capacidade dos espaços e casas, limitadas ao número máximo de 300 pessoas e seguindo todos os protocolos.

Espaços abertos, arejados, dotados de ventilação natural e abundante: Utilização de, no máximo, 30% da capacidade dos espaços e casas, limitadas ao número máximo de 500 pessoas e seguindo todos os protocolos.