Racismo na internet: 'reúna o máximo de evidências e denuncie', explica delegada

A entrevistada é a delegada Milena Gireli, titular da Seção de Investigações Especiais - Pessoas Vítimas de Discriminação Racial, Religiosa, Orientação Sexual ou Deficiência Física da PCES

Publicado em 28/01/2022 às 12h26
Racismo, injúria racial
Racismo, injúria racial. Crédito: Getty Images

O ator Douglas Silva, que participa da edição do Big Brother Brasil desde ano, foi alvo de publicações de cunho racista na internet. Em um texto anônimo publicado no dia 21 de janeiro, um blog usou uma foto da Klu Klux Klan - um grupo extremista dos Estados Unidos que defende a supremacia branca - e mencionou uma sequência de xingamentos contra o ator, todos com enfoque racista.

Através de uma procuração deixada por Douglas, seu advogado registrou queixa na polícia do Rio de Janeiro. O blog também publicou textos anônimos contra os participantes Natália Deodato, Luciano Estevan e Linn da Quebrada. Segundo a investigação preliminar, o suposto autor é um militante neonazista do Rio Grande do Sul.

Em entrevista à CBN Vitória, a delegada Milena Gireli, titular da Seção de Investigações Especiais - Pessoas Vítimas de Discriminação Racial, Religiosa, Orientação Sexual ou Deficiência Física da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), explicou que a vítima deve reunir o máximo de evidências possíveis, "printar tudo", e denunciar em qualquer delegacia. Ouça: