Por que a alta dos juros dificulta acesso de brasileiro ao crédito

Quem explica é a comentarista Neyla Tardin

Publicado em 04/02/2022 às 12h00
Poupança, cofrinho, cofre, moeda, dinheiro, investimentos
Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Em janeiro de 2021, os juros estavam em 2% ao ano. Na quarta-feira (2), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa para 10,75% ao ano — o oitavo aumento seguido do juro básico e acima de 10% pela primeira vez em quatro anos e meio. A escalada da Selic faz com que o brasileiro tenha mais dificuldade de acesso às carteiras de crédito. Assunto para Neyla Tardin, nesta edição do Conversa de Bolso. Acompanhe!

Desde o ano passado, por exemplo, cerca de 3 milhões de famílias deixaram de ter acesso ao financiamento imobiliário por conta do maior custo do crédito para compra do imóvel próprio. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a cada variação de 2,5% da Selic, há o aumento de um ponto percentual no Custo Efetivo Total (CET) envolvido na contratação de um financiamento. E a cada um ponto de aumento do CET, 1 milhão de famílias, aproximadamente, perde a condição financeira de comprar um imóvel.

Este vídeo pode te interessar