Trabalho científico permite "milagre" dos peixes em rio impactado pela lama

Quem explica é a bióloga e doutora em Oceanografia, Tatiana Furley, que conquistou uma inédita premiação do BRICS Solutions for SDGs Awards 2021

Publicado em 12/10/2021 às 11h33
Trabalho científico permitiu
Trabalho científico permitiu "milagre" dos peixes em rio impactado por lama. Crédito: Pexels

Traíras, carás e lambaris voltaram a se multiplicar no rio Gualaxo do Norte, em Minas Gerais, afluente do Rio Doce, pouco tempo depois do pequeno rio ser severamente atingido pelas lamas do rompimento da barragem de Mariana, em novembro de 2015. Os peixes dobraram de peso e de quantidade, com efetiva comprovação do aumento de até 81% da população de peixes jovens, ou seja, indicando procriação local, resultado de um projeto desenvolvido por uma empresa do Espírito Santo, a Aplysia Soluções Ambientais. Em entrevista à CBN Vitória, a bióloga e doutora em Oceanografia, Tatiana Furley, vice-presidente de inovação da empresa e líder do Comitê Científico Latino Americando da Society of Environmental Toxicology and Chemistry (SETAC) na América Latina, detalha o trabalho. Batizado como ReNaturalize, o projeto-piloto de renaturalização conquistou uma inédita premiação do BRICS Solutions for SDGs Awards 2021, que reconhece soluções de base tecnológica que visam alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS).

“Temos no Brasil milhares de rios degradados e assoreados, e a grande maioria pode ser recuperada. Mais do que isto, eles podem voltar a gerar alimento e renda para os moradores ribeirinhos. Não se trata de 'milagre', mas sim um trabalho científico, metódico e extremamente organizado, que tem como um de seus pilares a participação da população local”, explica. “Recriamos o habitat dos peixes, usando materiais naturais como troncos e galhos de árvores mortas da mata ciliar, formando remansos em centenas de pontos estratégicos do rio, reduzindo em até 63% a velocidade das águas, tornando o ambiente propício para descanso, alimentação, reprodução e também para o berçário de peixes, com essa metodologia que trouxemos da Europa e Estados Unidos e adaptamos ao ambiente tropical. Esta técnica é fundamental também para o menor assoreamento dos rios de maior porte, o que, naturalmente, gera um menor risco de enchentes”, detalha. Ouça as explicações completas!

O QUE É? "O 'ReNaturalize' é uma técnica de restauração fluvial onde utilizamos troncos de árvores mortas, que estão a beira dos rios, pra recriar o ambiente das espécies aquáticas. É uma técnica que trouxemos da Europa, Estados Unidos, e fizemos a adaptação a realidade brasileira, ao ambiente tropical. No rio Gualaxo do Norte o maior benefício observado foi acelerar a recuperação desse rio. Logo após a instalação dessas estruturas naturais, no leito do rio, nós observamos uma redução do fluxo de água, favorecendo, então, uma maior variedade de substratos no fundo do rio. Essa maior variedade propicia, então, uma maior biodiversidade. Em apenas um ano após a instalação nós observamos um aumento de 110% na quantidade dos insetos aquáticos, que servem de alimentos pros peixes. Aumento do peso e de espécies indicadoras de peixes em até 100%. Aumento de 81% de filhotes de peixes, de peixes de menores tamanhos. Eles estão indo ali não apenas pra se abrigar, mas também pra se reproduzir. O que é um ótimo sinal pra nós"

"No caso do ES, em Mangaraí, nós tivemos, por exemplo, a comunidade local nos ajudando na instalação de estruturas, manutenção, inclusive até no monitoramento ambiental, de acompanhamento da volta das espécies. Em qualquer tipo de rio é possível sim a participação. Eles são beneficiados diretamente pela volta das espécies no ambiente, é o rio que corta a terra, propriedade, traz a a melhoria do paisagismo, e a valorização da sua da própria terra"